Wednesday, 19 October 2005

A maior


Gosto da Oprah. Gosto muito da Oprah, acontecendo o mesmo aos meus amigos homens e mulheres. É um fenómeno global.
Pela mulher que é, pelo desassombro em falar do passado, pelas prendas que dá, pelos raspanetes que passa aos convidados.

A gente assiste com a mesma gula aos programas fúteis (por ex. aquele em que a cadela dela vai ao psicólogo) e aos mais sérios. Ela parece empenhada em todos eles.

Não sei se, sendo americana, veria o programa, ou até se o admitiria. Afinal é o que passa à hora do nosso às duas por três (que é às três e feito por duas pessoas, enfim) ou o Portugal no coração, que por sua vez estão a anos-luz do Oprah show. É mesmo um show. O que é certo é que agora vejo quantos houver. Sim, mesmo os repetidos.

11 comments:

Snowgaze said...

Eu também gosto da Oprah :). Não gosto é de às vezes repetirem o mesmo episódio 3 ou 4 vezes (ou mais).

just me said...

Também curto! Vejo todos os dias e chego ao cumulo de ir ver ao site o que se está a passar!
Também acho que às vezes ela exagera nos raspanetes, mas prontes, eles só vão lá porque querem, por isso aguentem-se à bronca!!!!!

Rosa said...

Eu tem dias... Há programas fancamente divertidos e desempoeirados, e outros que me parecem apenas um "lavar de roupa suja" e uma exploração dos sentimentos das pessoas e da sua ânsia pelos 15 minutos de fama.

Jo said...

oprah!oprah!oprah!
ontem foi dia de trinny and susanah! :)

nana said...

também gosto de ver.É uma self-made woman que não perdeu o lado feminino e doce, sendo também uma mulher de fibra!!
;)

um estranho said...

Eu gosto, sempre, da Oprah. Mesmo quando ela "carrega" nas broncas. Apenas porque são pensadas.

Gosto da maneira como ela se entrega aos seus convidados.

Viram aquele programa em que ela convidou um casal em que ele, percebeu durante o casamento que gostava de homens? Viram a cumplicidade que ela conseguiu ter tanto com ela como com ele?

Poe-se no lugar das pessoas, e isso é um dom.

Hoje já é sexta feira nao é?

innocent bystander said...

concordo contigo, rosa, e nesses normalmente não aguento tanto intervalo, desligo. mas normalmente papo tudo.

trinny and susanna, yeah, passei parte da tarde a pensar no meu soutien...

bonifaceo said...

Pronto, faltava um desmancha prazeres, sim eu, eu não vejo, nem tenho curiosidade. Não sou muito de talk-shows espalhafatosos, só vejo mesmo às vezes alguns "Late show" do Conan O'brien. Ó, o "Portugal no Coração" não tem a intenção de ser assim como a Oprah, acho eu... é mais clássico e tal, e até fala de gastronomia... agora os das privadas sim, já são bem mais desse género, embora fiquem nos tais anos luz, se calhar e noutro horário, só o Herman se aproximará mais. E pronto, dei a minha humilde opinião baseada acima de tudo no que oiço falar, no caso da Oprah, e nos poucos minutos de zaping que vi nos programas nacionais.

Portuga said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Portuga said...

De facto é impressionante o sucesso e o poder que aquela mulher alcançou. A minha mulher também adora o programa e eu apanho alguns pedaços. Acho que um dos grandes valores que ela tem é o de desmistificar as coisas e conseguir falar de tudo retirando aos assuntos a carga excessivamente negativa e de culpa que estes possam ter.

Ela consegue ter uma postura que transmite às outras pessoas "podes falar, eu não te vou julgar". E sendo ela quem é nos EUA os convidados sentem-se protegidos e a audiência absorve também esse estado de espírito e ouve o que as pessoas têm para contar sem julgarem, percebendo que todas as histórias têm mais que uma perspectiva e que nem sempre se prejudica os outros deliberadamente ou é possível evitar fazê-lo.

innocent bystander said...

ora bem, é isso mesmo, portuga.