Thursday, 28 August 2008

Ai querem pistas?

.
Série 1 em DVD, o disco seria melhor.


Para viajar com estilo.

Sniff sniff

Deve haver poucas coisas mais parvas do que estar constipada em Agosto.
.

Tuesday, 26 August 2008

Viena em Lisboa

Sento-me no blogger após visita para almoço ao Kaffeehaus, restaurante/café/sítio giro com ar novinho a estrear ao Chiado. Degustada a wienerschnitzel com salada de batata de gabarito, pedida a apfelstrudel, a acção que faz sorrir é o café: servido em bandeja individual com copo de água ENGARRAFADA. Me aguardem.
.

Friday, 22 August 2008

Nelson

«Tu já viste que o que ele saltou é a distância do quarto até à cozinha!?», exclama a minha mãe.
.

É oficial que:

- adoro queijo Queru para barrar;
- os Coldplay são uma seca;
- o Benfica já tem duas medalhas e arrisca terceira seriam quatro ai raisparta a Telma
.

Tuesday, 19 August 2008

Salto no vazio

Não me lembro de ter estado tão nervosa como entre o segundo e o terceiro salto da Naide, eram 3h20. Fiquei a olhar para o computador, a abrir sucessivamente páginas, F5, a espreitar o triatlo, o diabo. Não acreditei que falhasse, mas também não tinha acreditado que arriscasse tanto no segundo como no primeiro.

Ela tinha sido a primeira a dizer que um estádio cheio era motivador, ao contrário de outros que tinham medo de ver gente, preferindo se calhar recintos vazios, quem sabe durante um jogo de Liga da U. Leiria, ou que queriam era estar na cama, ou se esqueciam de que estavam ali como atletas e não como espectadores.

Sei bem que para se qualificar para as finais, muitos dos atletas tinham que superar os seus recordes pessoais, como a Sílvia Cruz, que com 59m no dardo tinha que atirar a mais de 61, ou a Vânia, que com 68m precisava de atirar a 71 (!). Mas se há sítio onde isso seria mais possível, mais motivante, seria naquele espectacular estádio, cuidava eu. Mas não, preferem ir para a caminha, ou não estão fadados para «este tipo de competições», como esta vânia. Para casa, então.

Já a Naide, habituou-nos a passar qualificações. A ter marcas melhores do que as referências de passagem. Mas não deu, passou-se. Custou-me. Custou-nos. Daqui a 4 anos, quem sabe, se engole isto tudo que andou por aqui.

Resta-me o consolo, como tão bem li aqui, dos comentários dos agora separados Luís Lopes e Jorge Lopes, duas razões para eu vibrar com atletismo.

... e comentadores histéricos

Quero também agradecer ao comentador de remo do Eurosport o entusiasmo burbulhante -«vamos aplaudir de pé, senhores telespectadores, este atleta norueguês que em Maio de 2007 jantou numa tasca no bairro alto e com o qual passámos o inverno» - e também ao de polo aquático da rtp. Bem haja quem se lembra de, de quatro em quatro anos, tirar estes exemplares da caixa em que estão guardados. «ó silva, vamos transmitir aqui uma coisa de remo, não sabes em que caixa está o trolaró?

Thursday, 14 August 2008

Diário Olímpico 2

O que é que se passa com estes fatos da natação que não deixam ver os rabos das miúdas e os peitorais dos rapazes?
.

Mais vale tarde que nunca

Nunca gostei do Rob Lowe quando era moda gostar do Rob Lowe. Há uns vinte anos, ou assim. Tinha penteados horríveis, era bonitinho de mais, arrisco até mau actor.

Mas depois aparece no West Wing, enxuto, bonitão, penteado moderno, olhos mais azuis, rápido nos diálogos como só aquela série sabia fazer.

E agora a confirmação com Irmãos e Irmãs. Enxuto, penteado moderno, olhos mais azuis, camisas impecavelmente passadas a ferro. Eu votava nele para presidente, mesmo que seja Republicano.
.

Monday, 11 August 2008

Diário olímpico

A China tem destas coisas. Insistem em fazer os Jogos quando lá é de dia, por isso eu aqui vou dedicar os próximos dias a entrar por volta desta hora.

A noite pesa, já se sabe. Ando pelo Bairro de mini-geleira e banho recém-tomado quando outros já vomitam pelas esquinas. Assisto ao nascer do sol e saio já quando as ruas estao molhadas de acabadas de limpar, os cafés começam a abrir. Luto para não adormecer no comboio.

Chego a casa, fecho as persianas e digo boa noite, lá pelas 11 da manhã. E ainda falta...

Sunday, 3 August 2008