Monday, 31 October 2005

As minhas apologias

Algures por aí abaixo terei etiquetado o David Fonseca de chato.
De lá para cá não me ficou provado o contrário, mas até ouvi uma musica na rádio e pensei «é gira e parece o Dave.. Ná, não pode» E não é que era mesmo?

Por outro lado, ele disse quais eram os discos da vida dele à Visão, e escolheu o Grace, do Jeff Buckley. Ora eu não posso deixar isto passar em claro. Desculpa lá David, és um granda gajo. Talvez continue a não te ouvir, mas és um bacano. Beijinho.

8 comments:

diane said...

é podre...mas eu comecei a ouvir jeff buckley depois de ter lido uma entrevista no blitz com o david fonseca(na altura, volcalista dos silence 4), em que ele dizia que o grace era o album da vida dele.
Pelo menos, é coerente e parece que falava a sério...

eu sei, é podre...mas eu ouço muito por referência a.

O Acordeonista said...

Desgaçado desgraçado, daqueles que dá pena, é o vocalista dos Toranja. Lá estava ele hoje no concerto dos Anthony and The Johnsons, com aquele ar de pedaço de cóco. Acho que ele faz de propósito para a vida lhe correr mal.

bonifaceo said...

É pena é estes gajos olharem mais para as baladas dos músicos que os influenciam e esquecerem-se do resto, depois dá nessa melancolia excessiva.

innocent bystander said...

só lhe fica bem, diane;

acordenman: tás coberto de razão. esse toranja já enjoa (falámos nesse gajo ontem, n foi?) apreciei o «pedaço de cocó», salvo seja

Xano said...

Continua a ser um chato do pior

innocent bystander said...

pois, eu também não disse que tinha deixado de ser :-). Só lhe louvo as escolhas.

ah, diane: qq maneira é boa para descobrir musica. eu este foi na rádio, mesmo.

Miguel Marujo said...

Eu aqui discordo: o gajo sabe-a. Podia cantar em português que a sabia ainda melhor, como se prova no único tema em português dos S4, na Balada da Rita, com o Sérgio, e nos Humanos... Disse.

innocent bystander said...

estás a concordar comigo, miguel: foi o que eu disse, gosto de o ouvir em português, parece que neste disco novo até tem o «adeus não afastes os teus olhos dos meus» e soou-me bem. Humanos é top. De resto...