Saturday, 6 August 2005

You and I

Image hosted by Photobucket.com

Este rapaz que está ali abaixo na minha primeira foto chama-se Jeff Buckley.
Chamava-se.
Chamava-se porque morreu em 1997, quando preparava o segundo disco.
O primeiro, «Grace», de 94, é nada menos do que perfeito. (Sim, já sei que me acusam de só gostar de mortos - este, mais o Jim Morrison e o diabo, mas não tenho culpa).
Descobri-o depois de morrer, fica sempre uma sensação de impotência, de que ele podia e merecia ter feito mais do que desaparecer com 31 anos.
Saiu outro disco, «Sketches for my sweetheart the drunk», mas já não é dele, não é verdadeiramente dele. Tem músicas gravadas em casa, primitivas, ainda com o som do dedo no microfone a fazer de bateria. Foram escolhidas pela mãe e pelo Chris Cornell, grande amigo.
Saíram outras coisas entretanto, sobretudo registos ao vivo, uma vez que praticamente não há mais nada.
Eu gosto, gosto muito, tanto que confesso que cheguei a escrever para uma espécie de clube de fãs em Nova Iorque. Incrivelmente responderam-me, mandaram-me uma palheta amarela. Coisa nunca vista...
E compro, vou comprando, ouvindo e tentanto dá-lo a conhecer a todos os que apareçam à procura de boa música.

5 comments:

esdruxulando said...

O Jeff Buckley é o maior. O Grace é uma obra-prima e a voz dele era uma pérola.

asterisco said...

Tenho-os todos - os dele e os não tanto dele.
já agora: o pai do rapaz chamava-se Tim Buckley, e era uma das grandes esperanças musicais musicais dos anos 70. Morreu de overdose.
O Jeff morreu afogado, porque achou interessante dar umas braçadas, todo vestido, no Mississippi.
O pai foi-se aus 27 anos, com 9 discos (!) editados; os primeiros quatro são brilhantes, os outros são "só bons".
O filho durou até aos 31, com um editado, mas pilhas de material ao vivo, que vale a pena ouvir.

innocent bystander said...

ai que bom encontrar mais como eu!! é só a mim que arrepia como ele e o pai são iguais???

asterisco said...

A parte curiosa, é que a motivadora de ambas as carreiras foi no primeiro caso a mulher, e no segundo caso a mãe - "ambas as duas" a mesma.

innocent bystander said...

e a maezinha toma bem conta da carreira do filhote, hem? O que tenho agora na calha para comprar é a nova versão do Grace, com DVD, mas que custa uns dolorosos 30 óros...