Thursday, 11 August 2005

Invenção vs distribuição

Cientistas completam mapa genético do arroz

«Um grupo de cientistas afirma ter completado pela primeira vez o mapa do código genético do arroz. Esta descoberta pode contribuir para tornar a produção do cereal mais barata e eficiente. (...) [O mapa] será usado para o melhoramento genético do cereal, tornando-o mais resistente e, consequentemente, aumentando sua produtividade. (...) “Este é um avanço de significado inestimável, não somente para ciência e para a agricultura mas também para todas as pessoas que dependem do arroz como sua dieta principal”, afirmou Joachim Messing, um dos cientistas envolvidos no projecto. Investigadores de dez países estiveram envolvidos na identificação dos 37.544 genes do arroz e no estabelecimento da posição de cada gene nos 12 cromossomas do cereal. De acordo com os cientistas, foram identificados alguns genes particularmente importantes que podem fazer aumentar a produção deste alimento, que segundo as Nações Unidas é responsável por 20 por cento da dieta alimentar a nível mundial.»
(in Publico.pt e estadao.com.br)

Tudo isto é muito bonito, não é?
Não me parece que falte arroz no mundo.
Ele existe, falta é que chegue onde é preciso.
Os cientistas, cheios de boa-vontade, dizem que isto vai ser porreiro para acabar com a fome no Mundo, mas eu desconfio um bocado.
Desconfio que o bonito arroz modificado, que deveria servir para ir para o Sudão e afins de modo a que as crianças deixassem de ter as barrigas inchadas, há-de aparecer nas prateleiras de produtos biológicos do Carrefour e do Continente. Ou nem isso.
A fome, essa, vai ficar onde está.

4 comments:

asterisco said...

Além de que o Arroz precisa de quantidades brutais de água, e as zonas de maior fome são precisamente aquelas onde há secas constantes.

Xano said...

O que me chateia mesmo é que haja tanta gente sem compreender à primeira o que dizes aqui...

innocent bystander said...

pode ser que se lembrem de inventar água também...

esdruxulina said...

não acho que consigam aumentar a produção de arroz só porque sequenciaram o genoma do arroz. é um óbvio e óptimo avanço no estudo do cereal, mas daí até fazerem milagres...

e tens toda a razão quando dizes que há arroz suficiente, tal como há outros alimentos que são desperdiçados de forma estúpida no dito mundo ocidental. bastava fazer chegar o desperdício, que não é pouco, a quem dele precisa.