Sunday, 14 August 2005

Pódio da crueldade

1. Medalha de ouro: há muita gente cruel, mas ninguém como as crianças. E estas são cruéis porque dizem a verdade e nada mais do que isso, sem paninhos quentes. Não há a mentira bondosa, apenas as alcunhas feias, os degredados no recreio. Se não és giro não és fixe; se és gira entras no grupo, mesmo que comas os macacos que tiras do nariz;

2.Medalha de prata: depois temos os velhos, que acham que já podem dizer e fazer tudo porque já passaram por tudo na vida, incluindo passar à nossa frente na caixa do supermercado. (PS, alertado pela Little Arsonist: as velhas viram testemunhas de jeová)

3. Medalha de bronze: a seguir temos as gajas. Ah, que raça. Se gostamos somos amigas até à morte, contamos tudo umas às outras e quem se mete com a minha amiga ou pisa a mochila dela é como se pisasse a minha também. Mas se não gostamos somos as maiores cabras que for possível. Inclui um ódio inato à Catarina Furtado. (adenda: na maioria dos casos, ou pelo menos eu.)

6 comments:

Xano said...

Hum, falta aqui tanta coisa... E a Catarina está a mais, claro, mas a gente dá um desconto.

innocent bystander said...

falta quem, quem?
qt à CF vou ressalvar, então.

C.A. said...

Eu até gosto da Catarina! Quem me irrita mm é a Bárbara Guimarães, essa intelectual à refresco da Alsa, é só juntar água...
Qt ao resto estou de acordo.
A medalha de ouro é mm pras crianças. Até pq já experimentei a sua crueldade desbocada. No outro dia, na praia, umas miúdas disseram-me q parecia um pato a andar. Antes, numa tarde de jardim, uns miúdos gritaram-me "Passa aí a bola, cota!", e umas adoráveis criancinhas tb já me disseram essa bela, e inesquecível, frase "Qd eu for velha, assim como tu, não vou ter essa barriga. Vou ser lisinha."
Pode doer um bocadinho, mas a verdade é q gostava q fossemos todos assim. Era mais verdadeiro, não era :-))
D. Ema

innocent bystander said...

hehe. Aqui há muitos anos foi a minha mãe que levou com isso na praia. Estavam uns miudos a jogar à bola ao pé de nós e ela fartou-se e apanhou a bola. Eles foram a chorar baba e ranho para a maezinha deles e disseram, de dedo espetado, que «aquela velhota» lhes tinha ficado com a bola. Coitadinha da minha mami, devolveu-a quase logo...

innocent bystander said...

Ah, e eu a Bárbara também não papo, não.

Stephen King said...

Concordo com a qualificação, por essa ordem. E as crianças não são só crueis por dizerem a verdade.
Já a gajas, bem, as gajas... o que haveria a dizer...