Saturday, 5 November 2005

Da série a poesia dele é melhor que a minha ao sábado à tarde

Ou para cantar ao ouvido de quem se gosta

Lembra-me um sonho lindo
Quase acabado
Lembra-me um céu aberto
Outro fechado

Estala-me a veia em sangue
Estrangulada
Estoira no peito um grito
À desfilada

Canta rouxinol canta
Não me dês penas
Cresce girassol cresce
Entre açucenas

Afaga-me o corpo todo
Se te pertenço
Rasga-me o ventre ardendo
Em fumos de incenso

(...)

Fausto, Lembra-me um sonho lindo

Ouvir aqui

1 comment:

um estranho said...

Lindissimo mesmo.

Gostas de poesia?
Vem ler o "Alguém" que fala da alma que não se compra nem se pede.

Parece que toda a gente se arrepiou, eu inclusive, a escrever.

beijinho