Thursday, 19 January 2006

Game, set, match


Acabo de chegar a casa depois de ver o Match Point, de Woody Allen.
Superou em muito as minhas expectativas e tenho algumas coisas para dizer.
Mas faço já o compromisso de nada contar até que vocês vão ver. CORRAM!!

Apenas duas notas:
- a banda sonora - Caruso em vez de jazz.
- a cicatriz linda do Jonathan Rhys Meyers por cima do olho esquerdo.

PS: Optei por não contar, porque acho que para este filme se deve ir completamente em branco, sem saber nem ler nada. Eu fui assim e adorei, tal como toda a sala, segundo me pareceu.

26 comments:

Pim said...

Ai se a inveja matasse. Já estou a correr. MUITOOOOO!

Xano said...

E a Scarlett, a Scarlett?

Miguel Marujo said...

e a Scarlett? podre, podre, podre de boa...

Senador said...

Expliquem-me lá a tara com a Scarlett que eu ainda não consegui lá chegar... Anda tudo doido com a tipa! Postem umas fotografias jeitosas para ver se mudo de opinião.

Lisa said...

Ó pá, ó pá, tu aguenta aí melher, que vou ver hoje.
Pronto, só cá volto amanhã para não me estragares a surpresa!

Rosa said...

Eu já te disse que O-D-E-I-O Woody Allen?? Hmmm?

Pim said...

Sondagem aqui nos comments:
1/4 dos homens não conseguem entender a beleza da Scarlett:
50 por cento das mulheres o-d-e-i-a-m Woody Allen.
Numa das raras vezes em que isto acontece, consigo entender melhor as mulheres do que os homens.
Oh, Senador, pá, por favor, pá!
Só uma dica: com a Scarlett é preciso ir mais longe do que a mera questão anatómica da coisa.

E, pronto!

innocent bystander said...

pim, xano, miguel: linda, gira, sedutora, dominante, mas... aquilo é muito mais do que ela, miudos.

rosa: ... o woody nem entra no filme, se fores ver até te esqueces que é dele.

lisa: vou dar uns dias.

senador: fotos giras é no deuscriouamulher, o link está ali ao lado.

esdruxulando said...

Eu não vou completamente em branco. Já vi aquela cena em que uma scarlett molhadíssima (estou a falar no sentido literal) troca de língua com um gajo. Para quem não acha a scarlett nada de especial, tenho a certeza que essa cena irá convencê-los do contrário. Estou ansioso por ir ver o filme.

Senador said...

Fiquei convencido. Este fim de semana vou ver a Scarlett e deixar que ela me seduza!
Scarlett prepara-te que eu vou a caminho!

Pim said...

ok, atingiu-se os 100 por cento. Unanimidade Scarlett!

innocent bystander said...

q bonito, 100 por cento!

quer dizer, eu também sabia que estes dois ali em cima se iam enrolar, mas mais nada.

Pim said...

Segui o conselho e não soube nem li nada. Mas não resisti a ir ver uma ou outra imagem. Uma delas já mora lá no cantinho. Ai a Scarlett!

Jo said...

a scarlett n me convence...já o woody: sim e muito!!!

o filme já está na lista!

ainda bem q n contaste nada :)

Miguel Marujo said...

o senador não percebe? espreita aqui por exemplo
ou aqui
ou para rematar, estas opções todas

(sim, eu sei, são todas lá de casa...)
O Woody neste filme convence muito, e eu sei Inny que o filme não é só a Scarlett... Mas o homem filmou-a como filmou poucas. ;) Sabedoria da idade...

innocent bystander said...

filmou sim senhor, miguel. Como «um míssil», hehehe

bonifaceo said...

Sinceramente não curto nada esta maluquice atrás da (minha) Scarlett, porque eu fiquei logo apanhado no Lost in Translation onde ela não estava nada de especial, não estava pintada nem loira e eu fiquei logo fascinado... depois começou a aparecer nas galas de prémios com aqueles vestidos e loira e toda bem arranjada e pronto, ficou toda a gente doida... e eu mais ainda...
Rapaziada, toca a ter juízo, ok?
Lolol (e eu também).
Estou morto por ir ver o filme que infelizmente e não ser porquê não estreou esta semana em Aveiro. Por acaso já vi algumas entrevistas, já sei mais ou menos o que vai acontecer e não curti ficar a saber, mas pronto...

Pim said...

Então, Boni, ficas a saber que já chegaste tarde. Nos idos tempos de 1997, a menina Scarlett já andava a bombar como uma das irmãs do rapaz que ficou Sozinho em Casa pela III vez, ok! E já estava lá a magia toda, yá! Depois, houve ainda o «Rapariga do Brinco de Pérola», em que, aí sim, estava linda de morrer... ou de viver!
Allez!

bonifaceo said...

Ahahah, mas no Sozinho em casa 3 era uma miúda. Eu estava-me a referir enquanto mulher... acho que não percebeste a coisa...
O papel mais marcante na adolescência foi no Encantador de cavalos em 98. A rapariga com brinco de pérola foi rodado no mesmo ano que o Lost in Translation (e também o a Perfect Score), mas até se estreou algumas semanas depois, e eu quis na altura ir ver porque era com ela, e ainda não havia esta doidaria à volta dela, mas não tive companhia e não fui.

Pim said...

és o mÁior, boni! Pim K.O.

bonifaceo said...

Oh, deixa-te de ironias e gozar aqui com o boni pim...
Sou lá agora o maior e porque te pus k.o.?

Pim said...

KO porque a minha obrigação era lembrar-me do Encantador de Cavalos, pá! E, qual ironia, qual quê? Estou só a meter-me contigo.

P.S.: Tinha de se chatear comigo, logo agora que eu regozijava por, finalmente, ter recebido a sua visita lá no cantinho... Xnif :(

bonifaceo said...

Ah, lolol, não, não me chateio com ninguém, muito menos por isto, pensei que te apercebesses no comentário que não estava chateado, isto de só se escrever sem um gajo saber da maneira como as coisas seriam ditas é chato...

Se queres saber por sorte tinha lido algumas horas antes que ela tinha entrado nesses dois filmes (sozinho em casa 3 e encantador de cavalos) quando estava a ler a NS. O sozinho em casa 3 nunca vi e o encantador de cavalos vi-o uma vez há muitos anos, logo era impossível de me lembrar... :D

Pim said...

Uff! Melhor assim...

Feeling the words said...

Só queria dizer o seguinte : Caruso não é um dos autores das várias músicas que aparecem no filme mas sim Giuseppe Verdi, Carlos Gomes Georges Bizet, Gioacchino Verdi, Gaetano Donizetti.
Mas apesar disso o filme está bem feito e vale a pena ir ver.

innocent bystander said...

eu sei que não é ele o autor, não escrevi isso. Mas é ele que canta a maior parte. Até se ouve o somzinho do vinil a passar. Mas obrigada pela informação.