Friday, 2 June 2006

É a crise

Pronto, lá fui à feira do livro. Este ano não me cruzei com o Fernando Ribeiro, dos Moonspell, mas trouxe um bocadinho dele. Salvo seja. Cheguei cedinho, algumas barraquinhas ainda se estavam as vestir, mas despachei-me por volta das 17 horas. Este ano só ia com dois fisgados, o resto foi assim um bocado à aventura. Então foi assim:

- Os melhores contos de HP Lovecraft - belíssima edição da Saída de Emergência, com organização do prof. José Lopes e introduções do Fanã Ribeiro.
- O fundador, Ayano Roriz - isto veio-me parar às mãos num pacote leve três pague dois, uma vez que também abichei o
- Quando Nietzsche chorou, Irvin D. Yalom; (e ainda tive direito à revista Bang, de coisas fantásticas. Gostei da editora esta)
- Crónicas, Bob Dylan - Pá, eu também mereço ter isto, não é só oferecer;
- O Historiador, Elizabeth Kostova - mete sangue e dráculas, deve ser baril;
- A Irmandade do Anel e As duas Torres, Jrr Tolkien (teve de ser, cada um a dez euros no pavilhão da fnac, sempre custa menos depois comprar o terceiro)
- O Matador, Patrícia Melo- desta vez não comprei repetido, colecção está completa;
- Herman, Lars Saabye Christensen - sim, já acabei o Beatles, vamos lá a ver este;
- A Trança de Inês, Rosa Lobato de Faria - após sugestão que respeito
- A música do acaso, Paul Auster - vá, mais um
- Bandidos e Mocinhas, Nelson Motta - outra espectacular edição, da editora Palavra, ao estilo Pulp Fiction, dizem eles
- O céu que nos protege, Paul Bowles - este homem tem das vozes mais impressionantes que já ouvi. A ver se aguento a leitura.

Mais, só para o ano.

11 comments:

esdruxulando said...

gostei muito d' "o caso de charles dexter ward", do lovecraft. Ou "nas montanhas da loucura". Inspirou grandes bandas da minha juventude, tipo Iron Maiden e Metallica. Não sabia que ele tinha um livro de contos. Tenho de ir ver isso.

Rosa said...

Ai, que eu ainda não tive tempo de lá ir e, pelo andar da carruagem, não sei se vou ter! Snif, snif...

innocent bystander said...

esdruxo: tb tenho «o caso cdw». loucura. tb só conheço mais este livro. Ainda por abrir.

rosa: sempre se poupa uns trocos, hem? se fores como eu... kisto os «preços de feira» já não são como antigamente...

bonifaceo said...

Vou amanhã à de cá de Aveiro. Mas não posso gastar tanto dinheiro em livros, infelizmente...
Beijo.

Miguel Marujo said...

O céu que nos protege é belíssimo. E deu em filme, duro e belo.

innocent bystander said...

boni: também não sei quanto gastei e vou procurar não saber. Boas compras.

miguel: espero bem, espero bem

bonifaceo said...

Ai não sabes...
Eu levei (apenas, apesar de para mim ser muito) 40€ para gastar, mas lembrei-me que tinha ainda alguns em casa por ler e acabei por apenas comprar Uma casa no fim do mundo do Michael Cunningham. E pelo que vejo no site da Bertrand só poupei 2€, com sorte encontrava aí num hiper ainda mais barato...

Rita said...

Quem tem a colecção completa da Patrícia Mello merece estoirar dinheiro em livros. Sim senhora. Aquilo é que é uma gaja a escrever, pá.

O Matador é muito bom, vais gostar.

innocent bystander said...

boni: sim senhor. os preços de feira já lá vão e não é vergonha nenhuma trazer um livrinho e iogurtes de um hiper. Não é.

Rita: espera lá que até fiquei agora baralhada. parece que há um novo, chama-se Mundo Perdido, saiu em Maio. porra.

Rita said...

ai, foda-se. A sério? Hoje vou à feira do livro. E vou compraaaaarrrrrrrr!!!!!!!

innocent bystander said...

eu não o vi lá na banca, só no site da editora, mas também não estava à procura. Mas dado que dispensa a tradução, é capaz de já lá ter chegado. Investiga aí.